top of page

AVALIAÇÃO DO PROGRAMA DE DESENVOLVIMENTO DA REGIÃO SUDOESTE DO TOCANTINS - PRODOESTE

Samuel Correa Duarte

ISBN: 978-65-5889-209-0
DOI: 10.46898/rfb.9786558892090

Sinopse

Esta é uma obra que nos ajuda a conhecer mais acerca dos complexos e contraditórios processos de territorialização do capital em benefício da burguesia, financiados pelo povo, a partir de políticas públicas patrocinadas pelo governo do Estado do Tocantins. Isto vem sendo feito através do Programa de Desenvolvimento da Região Sudoeste do Tocantins – PRODOESTE.
Aceitei o convite para prefaciá-la movido por uma dimensão ético-política que permeia a vida do autor. O professor Samuel é mineiro de Belo Horizonte, mas a vida e a realidade do campo não lhe são estranhas. Eu nasci por aqui mesmo, pelo sertão do Tocantins. Samuel há cerca de oito anos chegou ao Tocantins para viver mediando sua vida pelo trabalho docente no interior de uma universidade pública federal, a UFT – Universidade Federal do Tocantins. Tão logo por aqui chegou, sem negar sua mineirice que deita raízes na vida, percebeu que agora está em outro lugar e assumiu não ser um ausente do lugar no qual optou por viver. Por isso o esforço em conhecer as realidades dos lugares onde vive. Foi assim em Tocantinópolis, lá no extremo norte e está sendo assim em Miracema, na região central do estado.
Este livro é resultado de uma pesquisa de mestrado e testemunha exatamente a perspectiva de uma pessoa que tem a convicção de que para participarmos de processos formativos de outros homens devemos misturar nossa vida com os lugares e as pessoas e, obviamente isto supõe abertura para buscar conhecer mais dos lugares e das pessoas com as quais convivemos, inclusive buscando desvelar as contradições políticas e econômicas presentes neste processo. Sobretudo quando se torna imperioso compreender o papel dominante assumido pelo estado, como anuncia Samuel em seu texto: “Ao desenhar políticas públicas a serem aplicadas na transformação do espaço o Estado as converte em políticas territoriais de âmbito regional”.
O autor evidencia no livro os embates e contrastes oriundos da ação do estado fundados numa concepção de desenvolvimento e de política pública, mas também de política agrícola, pensada para fortalecer os grupos e classes já privilegiados no acesso a benesses do poder político e econômico que abandona o campesinato à sua própria sorte em nosso país. No caso em estudo, articulando interesses de organismos internacionais, a burguesia agrária nacional, bem como os interesses locais que se reorganizam neste processo para obter lucros produzindo grãos para o mercado externo financiados pelo povo do Tocantins.
Não temos dúvidas de que projetos como este (o Prodoeste) está articulado a outras experiências no processo de reocupação e revalorização das áreas de domínio do cerrado no Brasil (a exemplo do Prodecer, do Matopiba), que passam a se inserir nos interesses do agronegócio, estruturado em uma base técnica, política e econômica produzindo rupturas profundas na vida de distintos grupos sociais, bem como na própria natureza.
É muito importante persistir neste trabalho intelectual, que tem como foco principal o esforço em compreender o complexo processo de apropriação da natureza e dos homens, colocando-os a serviço do capital. Apreender essas mediações também pode nos capacitar para uma ação política mais conseqüente, mesmo considerando a enorme complexidade para desvelar as artimanhas do capital e seus representantes no Tocantins.
Miracema do Tocantins –TO, janeiro de 2017
Antonio Miranda de Oliveira
Nos dez anos do Grupo de Pesquisa EDURURAL

Data de publicação:

15 de outubro de 2021 13:20:47

Gostou? Comente!
Noté 0 étoile sur 5.
Pas encore de note

Adicionar avaliação
Partagez vos idéesSoyez le premier à rédiger un commentaire.
bottom of page