top of page

CRÍTICA DA RAZÃO PROMETEICA: O IMPULSO PÓS-CIVILIZATÓRIO DA CIVILIZAÇÃO

Harley Juliano Mantovani

ISBN: 978-65-5889-172-7
DOI: 10.46898/rfb.9786558891727

Sinopse

Esta presente obra se apresenta como uma reflexão crítica acerca do processo civilizatório da humanidade. Nós fizemos da figura mitológica de Prometeu um instrumento hermenêutico e heurístico com o qual enfrentamos o desafio de tentar entender e de propor uma explicação sobre como o nosso processo civilizatório nos trouxe até este atual momento em que a humanidade parece se defrontar com suas possibilidades últimas. Com isto fizemos, de certo modo, uma investigação sobre as origens do niilismo que se traduz, atualmente, em crise da razão que, antes, havia seduzido com promessas. Não podíamos entender essa crise sem o retorno a esse mito fundador.
Para enfrentar esse desafio de entender e de explicar o nosso presente através de uma reflexão crítica sobre o nosso percurso civilizatório, procedemos de modo analítico e comparativo, mobilizando a história da filosofia em diálogo constante, instrutivo e imprescindível com o pensamento científico e a história da ciência, com a poesia e a literatura, assim como com alguns elementos teóricos que oscilam entre a antropologia e a teologia. Nesses termos, se não nos prendemos exclusivamente a uma leitura estruturalmente canônica dos filósofos, o nosso texto também argumenta e fala quando nele fala o que é manifestamente não-filosófico. Neste sentido, podemos dizer que o nosso método de análise crítica consistiu, em grande medida, em trabalhar a partir dessa tensão entre filosofia e não-filosofia, acreditando que obteríamos daí uma renovação da reflexão tão necessária para pensarmos criticamente a nossa própria civilização. Tivemos que praticar a renovação reflexiva como pressuposto analítico porque constatamos que, se não o fizéssemos, além de termos ficado presos a um círculo racional vicioso, não teríamos conseguido enfrentar propriamente a razão em crise ou adoecida cuja atividade alimenta precisamente o impulso pós-civilizatório da nossa civilização. Como se nota, construímos o nosso método de trabalho a partir do pensamento de Maurice Merleau-Ponty.
Por fim, através da nossa reflexão baseada no diálogo e complementaridade entre filosofia e não-filosofia, buscamos entender a significação do impulso pós-civilizatório inerente e imanente à nossa própria civilização, assim como identificar sua manifestação e suas consequências que, em síntese, assinalam para a atuação civilizatória de um processo que implica a desumanização do homem. Contra esse impulso pós-civilizatório pensamos na possibilidade de uma transformação poética da nossa civilização, pois a poesia, restituindo o elo entre história e moral, é capaz de restaurar e de salvaguardar a humanidade do homem.

Data de publicação:

6 de dezembro de 2021 16:48:17

Gostou? Comente!
Rated 0 out of 5 stars.
No ratings yet

Adicionar avaliação
Share Your ThoughtsBe the first to write a comment.
bottom of page